Newsletter

Número de consultas em alergia e imunologia cresce 42,1%

Análise do IESS apresenta informações detalhadas sobre consultas médicas ambulatoriais no País. Visitas a geriatras tiveram queda expressiva

As consultas médicas são um instrumento importante e desempenham um papel fundamental quando se trata de cuidados com a saúde. Entre 2019 e 2022, o número de consultas na especialidade alergia e imunologia tiveram um crescimento acentuado de 42,1% – saltaram de 2,1 milhões para 3 milhões de procedimentos no período. As informações são do estudo especial sobre número de consultas na saúde suplementar, desenvolvido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

A apuração, com base no Mapa Assistencial da Saúde Suplementar, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), mostra que as consultas dessa especialidade sofreram oscilação desde o início da análise. De 2019 para 2020, no período de pré-pandemia da Covid-19, houve queda no volume total, passando de 2,1 milhões para 1,6 milhão (-25,5%). Mas, a partir de 2021, voltaram ao patamar inicial de 2,1 milhões e, no ano seguinte, atingiram 3 milhões de consultas. 

Para o superintendente executivo de IESS, José Cechin, o registro de alta nesse tipo de consulta pode estar relacionado com maior conscientização sobre o problema no País. “É evidente que as pessoas estão cada vez mais bem informadas sobre os tipos de alergias, sejam elas alimentares, sazonais, bem como as questões autoimunes. Outro ponto importante que devemos considerar é o fato de maior prevalência por conta de fatores ambientais ou mudanças nos padrões alimentares”, afirma, acrescentando que o pós-Covid também é um dos fatores a ser considerado.      

A angiologia, que tem papel essencial na área de medicina vascular, é outra especialidade que registrou aumento percentual expressivo em consultas (21,1%) – passou de 1,9 milhão, em 2019, para 2,3 milhão, em 2022. 

Queda em consultas com geriatras

O público etário com 60 anos ou mais tem crescido bastante nos últimos anos em relação a volume de beneficiários. Em 2023 houve registro de 7,5 milhões de contratos, número recorde em planos de saúde médico-hospitalares, de acordo com a Análise Especial da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) 89. Apesar da alta em adesões, o estudo identificou queda expressiva de 32,5% nas consultas com especialistas em geriatria. Para se ter uma ideia, em 2019 foram contabilizadas 1,7 milhão de consultas, número que foi reduzido para 1 milhão em 2022.

Clique aqui para acessar o estudo especial na integra.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *